loading sadorent rent-a-car
Loading...









O seu navegador não é suportado!

O MS Internet Explorer é um browser que não suporta as novas tecnologias web.
Para que possa visualizar a página corretamente, por favor utilize qualquer um dos navegadores abaixo:




Google Chrome

Mozilla Firefox

Microsoft Edge

Opera



Beja

Beja

No local onde se situa Beja existem indícios de ocupação desde tempos remotos, mas foi o domínio romano que mais contribuiu para o seu desenvolvimento. Foi aqui que, no séc. I a. C., o Imperador Júlio César assinou um tratado de paz com as tribos Lusitanas que ocupavam o território. Então, o local passou a chamar-se Pax Julia e foi elevado a capital jurídica e administrativa.

O actual traçado urbano de Beja tem bases na cidade romana e nas portas de Évora e Mértola  que marcam as antigas entradas nas muralhas. O crescimento económico é comprovado pela grande quantidade de peças arqueológicas encontradas, que se podem ver no Museu Regional Rainha D. Leonor. Muito perto de Beja, a Villa Romana de Pisões mostra-nos de uma forma mais real como vivia uma família romana durante esse período.

No séc. VI, os visigodos ocuparam o território e aqui permaneceram até ao séc. VIII, quando foram derrotados pelas tribos muçulmanas que ocuparam o Sul da Península Ibérica. Uma visita ao Núcleo Visigótico do Museu Regional, instalado na Igreja de Santo Amaro é imprescindível para conhecer os contributos da cultura visigótica na cidade que foi sua sede episcopal.

Desde o início da Reconquista Cristã durante o séc. XII, Beja viveu tempos conturbados. Conquistada pela primeira vez pelos cristãos em 1162, sofreu vários ataques dos muçulmanos e só teve a paz definitiva em 1253, com o rei Afonso III, que reconstruiu a vila, concedeu-lhe foral (1254) e recuperou a sua importância económica. No final do século, o rei D. Dinis mandou construir o Castelo, cuja Torre de Menagem se transformou no ex-libris da cidade.

Beja viveu novos momentos de dinamização durante o séc. XV, quando o rei D. Afonso V formou o Ducado de Beja e o concedeu a seu irmão, o Infante D. Fernando. O rei D. João II nomeou Duque de Beja o seu primo, futuro rei D. Manuel I. Desde então, o ducado ficaria sempre na posse dos filhos segundos dos reis. O mecenato régio ficou marcado por alguns monumentos que merecem uma visita, nomeadamente o Convento da Conceição, a Igreja da Misericórdia, o Convento de São Francisco, actualmente transformado em Pousada, a Igreja de Santiago, e a Igreja do Pé da Cruz.

Para descobrir a cidade de Beja, a Região de Turismo da Planície Dourada promove a visita guiada pela cidade através de um sistema audio, e disponibiliza 30 Petras (bicicletas). Aconselha-se o mês de Março, quando tem lugar a Ovibeja, uma feira em que a produção agrícola regional é o pretexto para mostrar a cultura, a etnografia e a economia da região.

(fonte: www.visitportugal.com)

Estação SADORENT Beja

+351 284 100 240

beja@sadorent.pt

+351 21 781 82 91*

Ver detalhe

Central +351 217 818 290

Ou ligue direto para:

Almada +351 212 744 606
Aveiro +351 234 246 137
Barreiro +351 212 158 036
Beja +351 284 100 240
Elvas +351 268 639 490
Estremoz +351 268 339 282
Évora +351 932 403 022
Lisboa-Aeroporto +351 217 818 296
Lisboa-Benfica +351 217 155 422
Lisboa-Centro +351 217 818 295
Lousã +351 928 146 434
Montijo +351 212 318 124
Odivelas +351 219 332 543
Parede +351 210 175 746
Portalegre +351 245 337 456
Porto-Aeroporto +351 229 448 686
Porto-Cidade +351 229 766 730
Setúbal +351 265 539 660